Início » Notícias » Cidadania » Bolsonaro ataca Renan Calheiros, relator da CPI: “Vagabundo é elogio para ele”

Bolsonaro ataca Renan Calheiros, relator da CPI: “Vagabundo é elogio para ele”

“Não há maracutaia lá por Brasília que não tenha o nome do Renan envolvido”, emendou o presidente em discurso na Paraíba nesta quinta-feira (21/10)

presidente Jair Bolsonaro atacou nesta quinta-feira (21/10) o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, o senador Renan Calheiros (MDB-AL). O chefe do Executivo disse que chamá-lo de “vagabundo” era elogio e acusou o parlamentar de estar envolvido em “maracutaias” em Brasília. A declaração ocorreu durante a cerimônia de inauguração da obra do trecho final do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco em São José de Piranhas (PB).

“Relatório da CPI comandada por Renan Calheiros?”, questionou em tom de ironia o presidente. Apoiadores na plateia gritaram “vagabundo” e Bolsonaro rebateu: “Não. Não chame o Renan de vagabundo, não. Vagabundo é elogio para ele. Não há maracutaia lá por Brasília que não tenha a o nome do Renan envolvido”, apontou.

Nessa quarta-feira (20), o relatório final da CPI da covid, apresentado por Calheiros recomendou que o presidente  seja investigado e, eventualmente, responsabilizado em três frentes devido à gestão do seu governo na pandemia de coronavírus: por crimes comuns, por crimes de responsabilidade e por crimes contra a humanidade.

O texto lido durante a comissão continha cerca de 50 páginas e trazia os pontos principais do parecer de 1.180 laudas que detalha possíveis crimes e omissões do governo federal e aliados durante a pandemia.

Caso o relatório seja aprovado pela maioria da comissão na próxima semana, as acusações serão analisadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR), pela Câmara dos Deputados e, ainda, pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), pelo qual o presidente poderia sofrer um processo.

Alcolumbre e Renan

Em aceno, Bolsonaro ainda agradeceu ao senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) pelos dois anos em que esteve à frente da presidência do Senado, mas lembrou que, agora, com o demista na presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CJJ), enfrenta resistência para a sabatina de seu indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-AGU André Mendonça.

“Esteve lá na frente do Senado por dois anos, o senador Davi Alcolumbre e quem disputou as eleições com ele para presidência em 2019? Renan Calheiros (MDB-AL). Imagine o Renan Calheiros presidente do Senado? Que desgraça estaria o Brasil dado ao que ele ia exigir para aprovar qualquer coisa naquela casa. Porque ele é o dono da pauta. Temos na maioria dos senadores pessoas de bem, mas não adianta você ter boa prova se o comandante não responde. O comandante é o espelho da tropa. Com Davi Alcolumbre não tive problemas no Senado. Quase tudo que nós precisamos, aprovamos lá. Eu agradeço ao Davi por esses 2 anos que ele esteve à frente do Senado. Caso contrário, seria Renan Calheiros. Apesar de ser nordestino, nunca fez nada nem pelo seu estado de Alagoas, quem dirá pelo Brasil”.

Fonte:
Ingrid Soares

Veja também

Ismael Crispin debate implantação de unidade do IFRO em Extrema

Deputado esteve reunido com o reitor do IFRO professor Uberlando Tiburtino Leite e equipe para …